set12

Entre 1748 e 1756 começou a chegar para Desterro (atual Florianópolis) os  açorianos  para, em primeiro plano, atender as necessidades políticas do rei de Portugal em ocupar as terras do sul disputadas com a Espanha, além dos problemas econômicos que enfrentavam no dia dia.

Para isso, o rei de Portugal doou lotes de terras para os novos povoadores, onde estabeleceram pequenos vilarejos que mais tarde tornariam-se vilas e bairros: Trindade, Ribeirão, Lagoa, Ratones, Santo Antonio, Canasvieiras, Rio Vermelho, Rio Tavares e gradativamente outros vilarejos surgiam.

Para a proteção de invasores europeus, os portugueses construíram fortes em algumas partes da ilha como o forte de Anhatomirim, Ponta Grossa, Sant’Ana, Ratones entre outros (todos apropriados a visitação atualmente).

Os açorianos trouxeram consigo seus aspectos culturais na arquitetura luso-açoriana, na culinária, nos hábitos e sobretudo a variada tonalidade diferente do português de Portugal, onde ainda pode-se notar no falar do povo nativo florianopolitano. Esse conjunto de hábitos foi dado ao nativo da ilha o nome de MANEZINHO, que seria em outras palavras o jeito caloroso e amável que o povo ilhéu possui, a vida simples!

Os açorianos que aqui chegaram desenvolveram as roças nas terras planas e nos morros. Construíam suas canoas com árvores nativas da mata Atlântica para a pesca artesanal. As mulheres cuidavam do quintal da casa, os afazeres do lar, produziam café e cuidavam de sua família.

Muitos dos hábitos açorianos prevalecem até hoje: a festa do Divino Espirito Santo, renda de bilro, engenhos de farinha, terno de reis (cantorias pagãs religiosas), pão por Deus que se realiza todo o dia primeiro de novembro, onde as crianças saem de porta em porta pedindo umas guloseimas, uma espécie de Halloween, porém sem fantasias.

Juntamente com as contribuições dos açorianos, portugueses, indígenas e negros inseridas no espaço geográfico da ilha de Santa Catarina ajudaram a formar a diversidade étnica-cultural da ilha de Santa Catarina, porém a essência das pessoas nativas da ilha possuem uma carga bastante importante da cultura açoriana: “o manezinho”.

Os visitantes que aqui chegam para passar suas férias e desfrutar das lindas praias da ilha poderão notar a língua portuguesa com um sotaque diferente do resto do país. Esta forma de falar se espalha por quase todo o litoral de Santa Catarina, mas se você vem desfrutar em Florianópolis com certeza terá o privilégio deste contato, “o manezinho”!

 

Salvador Coelho

 

jul24

A 17 edição do Prêmio “O Melhor de Viagens e Turismo 2017/2018”; da revista Viagens e Turismo, dá a cidade de Florianópolis o melhor destino de praias do Brasil.

A ilha de Santa Catarina é conhecida como ilha da Magia. A beleza natural da ilha encanta aos olhos de quem chega aqui. A cidade de Florianópolis, situada na ilha de Santa Catarina, conta com mais de 40 exuberante e belas praias para a pratica de banho, mergulho, pesca, voo livre, trilhas ecológicas, surfe, sandboard, windsurf, kitesurf, vela e outros esportes náuticos.

Destaque para as praias de Lagoinha do Norte, Praia Brava, Praia do Forte, Jurerê Internacional, Praia Mole, Praia do Campeche, Praia do Matadeiro, Praia da Joaquina, Praia de Canasvieiras e Praia dos Ingleses.

Há ainda outras atrações para se conhecer, como a bela e agitada Lagoa da Conceição, a tranquila lagoa do Piri, o tradicional centro histórico de Florianópolis, os bucólicos bairros remanescentes da cultura açoriana Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha, além de fortalezas portuguesas, museus, igrejas e o cartão posta da cidade a Ponte Hercílio Luz.

Referencias: Notícas do dia Santur